Health Spain , Salamanca, Friday, February 24 of 2012, 18:51

Cientistas exploram nova estratégia para deter a proliferação de células tumorais

Centro de Investigação do Câncer de Salamanca e Centro Nacional de Investigações Oncológicas de Madri trabalham nesta linha

JPA/DICYT Uma linha de pesquisa do Centro Nacional de Investigações Oncológicas (CNIO) na qual colaboram cientistas do Centro de Investigação do Câncer (CIC) de Salamanca, busca novas estratégias para reter o ciclo celular, que faz com que as células se multipliquem ao dividir-se. A principal aplicação prática do controle deste processo é o desenvolvimento de terapias contra o câncer, já que esta doença se caracteriza pela proliferação descontrolada de células tumorais.  Os pesquisadores trabalham em uma estratégia diferente da comum para evitar a divisão celular.

 

Marcos Malumbres, pesquisador do CNIO, é um dos cientistas que trabalha nesta linha de pesquisa em Madri e visitou no dia 23 de fevereiro a Salamanca para palestrar em um seminário de pesquisa do CIC. “Analisamos a regulação da divisão celular. É um processo necessário para regenerar tecidos e, obviamente, no desenvolvimento embrionário, mas sobretudo é um processo que está desregulado no câncer, o que faz com que as células tumorais cresçam cada vez mais até formar um tumor”, explicou em declarações a DiCYT.

 

Concretamente, os pesquisadores procuraram as moléculas que fazem com que uma célula decida-se por dividir-se ou não, e neste campo compartilha a pesquisa com Irene García Higuera e Sergio Moreno, cientistas do centro de Salamanca. Ainda que seja uma pesquisa muito básica, estas moléculas sofreram mutação em câncer humano. “Desenvolvemos modelos em ratos modificados geneticamente com mutações parecidas as que ocorrem em pacientes com câncer e analisamos até que ponto o controle da divisão celular é relevante no surgimento do tumor, mas, sobretudo, buscamos uma terapia através da qual realmente possamos encontrar uma maneira de fazer com que as células tumorais parem de se dividir”, comenta.

 

Ultimamente isto tem sido possível adotando-se uma estratégia inovadora com respeito às pesquisas comuns neste campo. “Quase todas as estratégias para deter a divisão das células tumorais tentam paralisá-las antes de que se dividam. Isto funciona, de modo que as células tumorais ficam paralisadas, mas não morrem, o que pode fazer com que o paciente acumule novas mutações e que o tumor volte a aparecer.”

 

Aproveitar a debilidade

 

A nova idéia propõe deixar que se inicie o ciclo celular. “Quanto estão em divisão celular, encontram-se em um estado metabólico e energético muito débil. Desse modo, ao invés de impedir que entrem em divisão celular, impedimos que saiam deste estado, isso é, fazemos com que estejam continuamente dividindo-se sem possibilidade de que saiam deste processo”, comenta. Ao fazer isso, “comprovamos que 100% das células tumorais morrem”. Ainda que seja um experimento inicial básico “acreditamos que realmente podemos desenvolver maneiras de matar as células tumorais, não só de impedir que se proliferem, mas de atacá-las no momento em que estão mais frágeis energeticamente.

 

Definitivamente, a estratégia consiste em deixar iniciar o ciclo celular, mas evitar que acabe. “A maior parte das estratégias terapêuticas impedem que entrem em processo de divisão celular, enquanto nós permitimos que entre e não deixamos que saiam, em nenhum dos dois casos se dividem, mas graças a esta nova estratégia, ademais, morrem”, afirma Marcos Malumbres, que também colabora com outros cientistas do CIC como Xosé Bustelo ou María Sacristán.

 

O sucesso científico até o momento é evidente porque já existem estudos pré-clínicos nos quais os ratos alcançaram uma cura de 100%. Ainda que estes estudos tenha sido em sarcomas e tumores de mama, “a divisao celular é um processo universal, é idêntica em quase todas as células, seja qual for o tecido, de modo que acreditamos que poderia ser usada nesta estratégia de maneira geral”, afirma o cientista.