Nutrition Spain , Salamanca, Monday, June 09 of 2014, 19:14

As emendas orgânicas modificam a ação dos pesticidas

O IRNASA estudou o efeito que resíduos orgânicos têm no comportamento de herbicidas, fungicidas e inseticidas

José Pichel Andrés/DICYT O baixo conteúdo de matéria orgânica de alguns solos obriga agricultores a utilizar resíduos orgânicos para aumentar sua fertilidade e conseguir melhores colheitas. Eles necessitam aplicar pesticidas para combater os insetos, os fungos ou as ervas daninhas simultaneamente. O Instituto de Recursos Naturais e Agrobiologia de Salamanca (IRNASA, centro do CSIC) estudou o efeito da combinação de diversas emendas orgânicas com vários pesticidas, que podem causar problemas de contaminação caso não seja aplicada na medida exata.

O projeto incluiu o estudo de três tipos de emendas orgânicas: substrato pós-cultivo de champignon; lodos de depuradoras e bagaço de uvas, composto por dejetos de cacho, pele e sementes. Em cada solo emendado com algum destes três resíduos orgânicos, os cientistas analisaram o comportamento de um herbicida (linuron), um inseticida (diazinon) e um fungicida (miclobutanil). “Temos estudado os três processos mais importantes que sofrem os pesticidas uma vez que são aplicados, a adsorção no solo, a mobilidade e a degradação”, explica à DiCYT Sonia Rodríguez, pesquisadora do IRNASA que publicou os últimos resultados deste trabalho na revista Science of the Total Environment.

Os três pesticidas têm características físico-químicas diferentes e isto se reflete nos resultados. Por exemplo, os pesquisadores fixaram-se na vida média destes compostos, isto é, o tempo que 50% do composto aplicado leva para se degradar. No caso do herbicida, o tempo diminuiu ao se aplicar as emendas, enquanto que o efeito para o inseticida e para o fungicida foi o contrário, já que aumentou seu tempo de vida média. Desta forma, fica demonstrado que os pesticidas “apresentam diferentes mecanismos de degradação”, aponta Jesús Marín Benito, cientista do IRNASA que participou da pesquisa.

Entretanto, os parâmetros que podem ser medidos são múltiplos e o tipo de emenda orgânica que se aplica também influi. “Se o pesticida tem tendência a ser adsorvido por matéria orgânica solúvel, encontra-se mais biodisponível para ser atacado por microrganismos e degrada-se antes, enquanto que se é adsorvido pelo solo, o tempo de vida média aumenta”, destacam os especialistas.

Boa parte da informação obtida neste projeto foi conseguida graças à técnica de marcar os compostos com o isótopo radiativo carbono 14, já que “podemos saber quais os processos o pesticida sofreu antes de se degradar”, se se converte em CO2 (mineralização), se se encontra disponível (fração extraída) ou se está retido no solo (fração combinada). Concretamente, pode ser utilizado para conhecer o mecanismo de dissipação do diazinon e do linuron e analisar sua mobilidade. “Sem o carbono 14, você pode pensar que o pesticida desapareceu, quando realmente está adsorvido no solo”, indicam.

Muitas variáveis em jogo

Definitivamente, tanto as características da matéria orgânica como as do pesticida são fundamentais, contudo não são as únicas variáveis que se deve levar em conta neste processo complexo. O IRNASA também estuda os microrganismos, principalmente para ver de quais formas são afetados quando da aplicação tanto das emendas orgânicas como dos pesticidas. “Um fungicida está desenhado para atacar um fungo prejudicial para o cultivo, mas também pode afetar outros tipos de vida”, de maneira que “estudar os microrganismos é uma forma de medir o que ocorre no solo”. Curiosamente, tanto a presença de emendas como a de pesticidas aumentam a atividade destas formas de vida microscópicas, de forma que “na dose que temos aplicado, não seriam compostos tóxicos”.

Os resultados desta pesquisa são aplicáveis a outro tipo de emendas e pesticidas de características similares já que a informação que estas pesquisas proporcionam permite a utilização de modelos matemáticos. Levando em conta os dados sobre adsorção, mobilidade e degradação dos pesticidas, o modelo permite realizar predições acerca de seu comportamento sob determinadas condições climáticas, por exemplo.

Conclusões práticas para os agricultores

O mais importante é que estes novos conhecimentos podem ser a base para tirar conclusões práticas para o agricultor acerca de como utilizar os diferentes compostos. Um herbicida ou um fungicida devem permanecer o tempo necessário para atacar as ervas ou os fungos que prejudicam as plantas, contudo se são persistentes e se dispersam em excesso, causam problemas, de forma que encontrar o ponto ideal não é fácil. “É importante saber se o uso de uma emenda tem efeitos sobre o comportamento dos pesticidas, sobretudo para prevenir a contaminação de águas subterrâneas”, aponta Sonia Rodríguez.

Neste sentido, o estudo contribui também para dar valor aos resíduos procedentes da uva e do cultivo de champignon, este último especialmente em La Rioja, onde é o segundo cultivo mais importante depois da videira. Por isso, a Universidade de La Rioja também participou da pesquisa. A possibilidade de aproveitar estes resíduos orgânicos não somente resolve um problema de acumulação de resíduos, como também contribui com o aumento da fertilidade de algumas terras com matéria orgânica escassa.

 

Referência bibliográfica  

 

Jesús M. Marín-Benito, Eliseo Herrero-Hernández, M. Soledad Andrades, María J. Sánchez-Martín, M. Sonia Rodríguez-Cruz. Effect of different organic amendments on the dissipation of linuron, diazinon and myclobutanil in an agricultural soil incubated for different time periods. Science of the Total Environment 476-477:611-21. doi: 10.1016/j.scitotenv.2014.01.052